Notícias e Eventos | 
Notícias
Notícias
Verdes são os frutos da cooperação entre Ambiente e Caça!
24 Janeiro 2013


O coelho-bravo, a principal presa do lince-ibérico e uma importante espécie cinegética em Portugal, conta agora com mais 29 pastagens na região Sudeste do país, num total de 14 hectares de sementeiras de trigo e aveia.


Esta é uma das regiões mais secas e quentes do país, com uma baixa precipitação anual. Consequentemente, a disponibilidade de alimento (nomeadamente de plantas herbáceas) e de água para o coelho-bravo diminui significativamente durante o Verão, afectando a sua taxa de sobrevivência. Assim, e particularmente em áreas onde a densidade de coelho é baixa, o fomento de alimento torna-se importante para o aumento das suas populações. Como tal, durante o Outono e início do Inverno, gestores cinegéticos, proprietários e a equipa do projecto LIFE Habitat Lince Abutre, juntaram-se uma vez mais para aumentar o número e área de pastagens para este lagomorfo. Os gestores locais contribuíram com as sementes (trigo e aveia) e o projecto com o adubo e o correctivo de pH (para potenciar a produtividade do solo), ajudando desta forma a economia local, não só através da aquisição de produtos mas também de serviços.

 



O resultado está à vista… e é bem verde!
Agora resta-nos esperar que as condições climatéricas permitam o correcto desenvolvimento e uma boa produção destas sementeiras.

 

 



Com esta e outras medidas do projecto, a adequabilidade do habitat para o coelho-bravo e para outras pequenas espécies de presa será beneficiada, aumentando as suas populações para um nível adequado à presença do lince-ibérico, e contribuindo a médio prazo para o enriquecimento do valor cinegético das áreas intervencionadas.

 
  




O coelho e a paisagem Mediterrânica
O coelho-bravo (Oryctolagus cuniculus) é uma espécie-chave do ecossistema Mediterrânico, nomeadamente na Península Ibérica, por ser um modelador da paisagem (influencia as comunidades vegetais) e ter um papel essencial no fluxo de energia do ecossistema Mediterrânico Ibérico, ao ser uma importante presa de pelo menos 39 espécies de predadores, algumas delas ameaçadas de extinção, como é o caso do lince-ibérico (Lynx pardinus), da águia-imperial-ibérica (Aquila adalberti), do abutre-preto (Aegypius monachus) ou da águia-de-Bonelli (Hieraaetus fasciatus). Alvo de um drástico declínio nas últimas décadas, o coelho-bravo está actualmente classificado como espécie Quase Ameaçada em Portugal. Por ser uma presa ‘base’ no ecossistema Mediterrânico, a diminuição das populações de coelho-bravo enfraqueceu a rede trófica duma forma geral, ameaçando alterações profundas no ecossistema nativo.